30 de out de 2014

Tim Cook: um manifesto à tolerância

Shot003

“Ao longo da minha vida profissional, eu tentei manter um nível básico de privacidade. Eu venho de origem humilde, e não procuro chamar a atenção para mim. A Apple já é uma das empresas mais atentamente observadas em todo o mundo, e eu gosto de manter o foco em nossos produtos e nas coisas incríveis que nossos clientes podem alcançar com eles.

Ao mesmo tempo, eu acredito profundamente nas palavras do Dr. Martin Luther King, que disse que a pergunta mais persistente e urgente da vida é: ‘O que você está fazendo para os outros?’. Eu muitas vezes me desafiei com esta pergunta, e acabei percebendo que o meu desejo de privacidade pessoal tem me impedido de fazer algo mais importante. Isso é o que me levou até o dia de hoje.

Por anos, eu fui aberto com muitas pessoas sobre a minha orientação sexual. Vários de meus colegas na Apple sabem que sou gay, e isso não parece fazer diferença na maneira como eles me tratam. Claro, eu tive a sorte de trabalhar em uma empresa que adora a criatividade e a inovação e que sabe que isso só pode florescer quando você abraça as diferenças das pessoas. Nem todo mundo é tão sortudo.

Eu nunca neguei a minha sexualidade, mas ainda não tinha reconhecido publicamente minha opção, até agora. Então deixe-me ser claro: eu tenho orgulho de ser gay, e eu considero ser gay um dos maiores dons que Deus me deu.

Ser gay me deu uma compreensão mais profunda do que significa estar em minoria e me proporcionou uma janela para os desafios com que as pessoas de outros grupos minoritários lidam todos os dias. Isso me fez mais compreensivo, o que levou a uma vida mais rica. Tem sido difícil e desconfortável às vezes, mas minha opção me deu a confiança necessária para ser eu mesmo, para seguir o meu próprio caminho, e para superar as adversidades e a intolerância. Ser gay também me deu a pele de um rinoceronte, que vem a calhar quando você é o CEO da Apple.

O mundo mudou muito desde que eu era criança. A América está se movendo em direção à igualdade no casamento, e as figuras públicas que bravamente se declararam gays ajudaram a mudar as percepções e tornaram a nossa cultura mais tolerante. Ainda assim, existem leis nos livros da maioria dos estados que permitem aos empregadores demitir pessoas com base unicamente em sua orientação sexual. Há muitos lugares onde os senhorios podem despejar inquilinos por eles serem gays, ou onde podemos ser impedidos de visitar parceiros doentes e compartilhar seus legados. Inúmeras pessoas, especialmente crianças, encaram medo e abuso todos os dias por causa de sua orientação sexual.

Eu não me considero um ativista, mas percebo o quanto tenho me beneficiado com o sacrifício de outros. Então, se ouvir que o CEO da Apple é gay pode ajudar alguém lutando para chegar a termos com quem ele ou ela é, ou trazer conforto para quem se sente sozinho, ou inspirar as pessoas a insistir na sua igualdade, então vale a pena trocar isso pela minha própria privacidade.

Admito que dar este passo não foi uma escolha fácil. Privacidade continua a ser importante para mim, e eu gostaria de salvaguardar uma pequena parte dela. Eu fiz da Apple o trabalho da minha vida, e vou continuar a passar praticamente todo o meu tempo de vigília focado em ser o melhor CEO que posso ser. Isso é o que nossos colaboradores merecem e nossos clientes, colaboradores, acionistas e parceiros fornecedores também merecem. Parte do progresso social é entender que uma pessoa não se define apenas por sua sexualidade, raça ou gênero. Eu sou um engenheiro, um tio, um amante da natureza, um fanático por fitness, um filho do Sul, um aficionado por esportes, e muitas outras coisas. Espero que as pessoas respeitem meu desejo de me concentrar nas coisas para as quais eu sou mais adequado, e no meu trabalho, que me traz alegria.

A empresa que eu tenho a felicidade de dirigir há muito defende os direitos humanos e a igualdade para todos. Nós tomamos uma posição firme de apoio a um projeto de lei de igualdade no local de trabalho antes mesmo do Congresso americano, assim como apoiamos a igualdade no casamento em nosso estado natal, a Califórnia. E nós nos pronunciamos no Arizona quando o Legislativo daquele estado aprovou uma lei discriminatória contra a comunidade gay. Nós vamos continuar a lutar por nossos valores, e eu acredito que qualquer CEO desta empresa incrível, independentemente de raça, sexo ou orientação sexual, faria o mesmo. E eu, pessoalmente, continuo a defender a igualdade para todas as pessoas até que meus dedos dos pés apontem para cima.

Quando eu chego ao meu escritório todas as manhãs, eu sou cumprimentado por fotos emolduradas do Dr. King e de Robert F. Kennedy. Não tenho a pretensão que este meu escrito me coloque em seu patamar. Tudo que faz é permitir-me olhar para essas imagens e saber que eu estou fazendo a minha parte, mesmo que pequena, para ajudar os outros. Nós pavimentamos juntos o caminho iluminado pelo sol da justiça, pedra por pedra. Esta é a minha pedra”.